Ser Criança

Costuma-se dizer que todos temos uma criança dentro de nós. Por mais que os anos passem, todos temos momentos onde nos sentimos miúdos consumidos de emoções positivas e comportamentos infantis. E que bom que é sentir aquela felicidade genuína e soltar uma boa gargalhada!

Ser criança é ser-se descomplicado, ter solução para tudo, ver a vida com todas as cores do arco-íris, rir até doer a barriga, chapinhar nas poças, correr, saltar e brincar horas a fio, deitar e rebolar na relva e observar as nuvens e a natureza.

Crescer é a palavra de ordem quando somos crianças. Crescer e aprender. Embora a palavra de ordem devesse ser mesmo “Viver”.  Viver o presente, viver as experiências, viver as descobertas, viver as aprendizagens. A criança a quem lhe foi permitido ser criança, explorar e aprender a viver feliz, saberá identificar a sua essência e sentir que viveu a infância em todos os seus instantes. Esta criança foi livre na sua criatividade e imaginação, nas suas descobertas e aquisições, riu em voz alta, chorou quando precisou e fez as suas malandrices na altura certas.

children-5833685_1920

Ser criança é ter o dever de ser feliz, de ser amada e respeitada. É poder ter todos os sonhos, poder ser astronauta, super-herói, princesa e cientista. Ser criança é ter um conjunto de direitos que assentam em dez pilares base:

1 – Direito à igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade.

2 – Direito à especial proteção para o seu desenvolvimento físico, mental e social.

3 – Direito a um nome e a uma nacionalidade.

4 – Direito à alimentação, moradia e assistência médica adequada para a criança e a mãe.

5 – Direito à educação e a cuidados especiais para a criança física ou mentalmente deficiente.

6 – Direito ao amor e à compreensão por parte dos pais e da sociedade.

7 – Direito à educação gratuita e ao lazer infantil.

8 – Direito a ser socorrido em primeiro lugar, em caso de catástrofes.

9 – Direito a ser protegido contra o abandono e à exploração no trabalho.

10 – Direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

Ser criança é então poder viver livremente, estar assente numa educação que permita o desenvolvimento de diversas competências. Competências essas como o pensamento crítico, o espírito de entreajuda, a socialização, a autonomia e independência, o sentido de responsabilidade. Ser criança é exatamente ter a possibilidade de aproveitar tudo isto, num seio familiar equilibrado e afetuoso.

O que vale ser criança sem não se poder exercer!?

Scroll to Top